quinta-feira, 31 de março de 2011

FICÇÃO - "SEM INTERVALOS"


Inesquecível... Ela abriu a porta e entrou. Era uma visão do paraíso! Linda, voluptuosa e imponente!

Acendeu a luz do abajur, deu mais alguns passos a frente e ligou uma luminária com uma cúpula de vidro mesclado em tons de vermelho alaranjado. Por fim temperou o ambiente com o som de Joe Cocker interpretando You Can Leave Your Hat On e seguiu com andar decidido, olhar seguro e sorriso de Monalisa.

Senti meu corpo paralisado com aquela visão, diante daquela escultura viva que exalava de pura sedução. Só de imaginar o que viria a seguir comecei a suar. Fiquei sem saber se aquela visão incendiava todo o quarto, ou se as brasas surgiam só dentro de mim.

Não tirei o olho dela, por medo de perder algum detalhe. Acompanhei quando ela pegou um bombom e o levou à boca em câmera lenta. Seus lábios cor de cereja brilhavam em contraste com o marrom opaco do chocolate. Logo em seguida ela levou o dedo sujo com o doce de volta a boca, tocou os lábios e o limpou com a língua, que “abraçou” o dedo, chupando-o, da base até ponta.

Sem intervalos ela seguiu adiante e levou a mão até seu decote. Pinçou o zíper da blusa com seus dedos e foi descendo lentamente, revelando suas formas. Sua pele branca brilhava e contrastava com um lindo sutiã rendado e preto. Ela deixou a blusa cair “displicentemente” ao chão, enquanto a outra mão soltou o cinto da calça. Repetindo o gesto feito na blusa, desceu o zíper da calça, só que ainda mais devagar... Nessa hora quase parei de respirar!

A calcinha combinando com o sutiã tinha um lacinho estratégico e uma cinta liga, que ela tirou com tanta habilidade que nem vi sair. Parecia mágica. Ela era sensacional! Não desviei os olhos dela nem um segundo. Seus movimentos eram hipnóticos e fatais.

Só de calcinha e sutiã, ela dançou fazendo movimentos sexis e ousados. Gestos de uma de suas mãos simulavam masturbação e penetração, com a outra ela passeava pelo relevo de seu próprio corpo. No rosto expressava um prazer intenso que refletia nos olhos, que reviravam enquanto ela se acariciava e gemia.

Por fim ela tirou o sutiã e escondeu os seios somente com o braço e com a outra mão seguiu em direção ao laço que soltava a calcinha... 

... Infelizmente acabou a luz justo nessa hora e não vi o final do filme. 

Nenhum comentário: